Janeiro-2018

Cuidados para a durabilidade de seus móveis

Atenção com o peso, forma de manuseio, instalação e limpeza das peças

Mobiliar uma casa requer um investimento de pelo menos 20% do valor do imóvel. Assim, após um alto investimento, espera-se que os móveis tenham uma longa vida útil. Pequenos cuidados, como limpeza, manuseio adequado, manutenção de dobradiças e corrediças podem fazer toda a diferença na sua durabilidade. Confira a seguir algumas dicas sobre a conservação correta do mobiliário.

Peso

O excesso de carga é um dos principais fatores que podem comprometer a estrutura do móvel. A distribuição incorreta dos objetos armazenados pode envergar a madeira. Para impedir que as prateleiras cedam, uma sugestão é colocar as latas, no caso do móvel da cozinha, nas prateleiras mais baixas, pois a base costuma ter maior apoio.

Outra dica é fazer mais de uma pilha de pratos, por exemplo, em vez de colocá-los todos juntos de um lado e os copos do outro. Na hora de projetar o armário, podem-se utilizar soluções que garantam uma melhor estabilidade ao móvel, como os suportes de prateleira em aço, que além de possuírem aplicação oculta, reforçam a estrutura da tábua.


Distribua os pratos em pilhas para equilibrar o excesso de peso, evitando que as madeiras enverguem.

Ainda na cozinha, as gavetas de talheres resistem mais tempo se contarem com o auxílio das divisórias para utensílios, uma vez que o peso fica mais bem distribuído. Nos gavetões que irão receber muito peso, sugerimos a utilização de corrediças com maior poder de sustentação, a fim de não forçar os mecanismos de forma geral. A qualidade das ferragens escolhidas para seus móveis vão ditar o tempo e a durabilidade de uso de seus aparatos.


Além de acrescentar praticidade ao dia a dia, os organizadores garantem uma correta distribuição de peso dentro das gavetas.

Manuseio

O uso diário provoca um desgaste natural dos móveis, porém evitar a utilização de força excessiva ajuda na conservação das peças. Atualmente, tanto as dobradiças quanto as corrediças já possuem mecanismos que suavizam os movimentos bruscos, tendo sido projetadas para resistir a um determinado ciclo de aberturas e fechamentos. Contudo, o correto manuseio do móvel auxilia na longevidade dos mecanismos e estruturas. Forçar corrediças e dobradiças anti-impacto por exemplo, para que fechem mais rápido do que o próprio dispositivo está apto a fazer, com certeza diminuirá os ciclos e a vida útil das ferragens.


Apesar dos mecanismos evitarem o fechamento brusco das gavetas e portas, o ideal é evitar o excesso de uso de força.

No caso das portas de correr, um cuidado básico é manter sempre os trilhos limpos, a fim de evitar que objetos impeçam a livre movimentação das portas. Uma manutenção frequente com água e sabão neutro é suficiente, lembrando sempre de secar a superfície. Evitar pisar nos trilhos é outra precaução que precisa ser tomada, uma vez que esta ação pode afetar o nível do mecanismo, fazendo com que as portas saiam do lugar. Outro detalhe que requer a atenção do usuário é cuidar para que objetos do interior do móvel fiquem pressionando a porta para fora, como, por exemplo, edredons que fiquem além do limite do móvel. Esta pressão contínua pode ocasionar o descarrilamento da folha.

Posição

A área de instalação do móvel também afeta a sua durabilidade. Não aconselhamos instalar os móveis em locais que possuem uma exposição contínua a luz do sol. O contato direto com os raios solares pode queimar e escurecer a madeira com o tempo.  A melamina, material que reveste o MDF e o aglomerado, sofre menos com a exposição, mas ainda sim é afetada. Uma solução simples para este problema é a utilização de cortinas, que bloqueiam a entrada do sol.

O calor excessivo também fator que influencia a vida útil do móvel. Ao perder a humidade natural, a madeira começa a entortar. Desta forma, ao construir móveis que ficarão próximos a fornos elétricos, churrasqueiras e lareiras, entre outros, deve-se ter o cuidado de preservar certo afastamento e usar materiais isolantes. As grades de ventilação permitem a circulação de ar, evitam o superaquecimento do móvel além de garantir o correto funcionamento do eletrodoméstico e a conservação da peça. No caso das bancadas, os círculos ou barras protetoras protegem o tampo do móvel do contato direto com superfícies quentes.

Umidade

A água também é uma vilã dos móveis de madeira, e mais ainda dos feitos de MDF ou aglomerado. O líquido é absorvido pelo material, que incha e, no caso dos prensados, começa a esfacelar. Para a parte interna dos móveis, sugerimos a utilização de mantas de proteção impermeáveis, elas evitam o contato direto da água com a madeira, protegendo-a contra possíveis danos causados por vazamentos de líquidos diversos.


Os círculos protetores impedem o contato direto do calor com a superfície do móvel e ainda dão um toque de design ao ambiente.

A umidade também pode gerar mofo. E, para evita-lo, instalar os móveis com um recuo de 2 a 3 centímetros da parede, permitindo a circulação de ar e caso a alvenaria comece a “suar”, o líquido não será absorvido pela madeira. No caso das cozinhas, por serem revestidas com cerâmica, não há a necessidade da aplicação desta técnica, uma vez que o acabamento da parede já isola contra a umidade.

Limpeza

O mais recomendado é utilizar apenas sabão neutro ou de coco, aliado a um pano macio seco ou úmido – não pode ser “encharcado”, pois o acumulo de água pode ser prejudicial ao móvel. O uso de produtos químicos, como limpadores instantâneos, também não é indicado, uma vez que podem danificam a superfície ou o acabamento. As ferragens utilizadas também requerem cuidados, não deixe acumular poeira ou gordura sobre as dobradiças e corrediças. Isto pode prejudicar o funcionamento destes produtos. Em regiões litorâneas, lubrifique periodicamente as dobradiças com silicone líquido. Mas tenha cuidado, não aplique este silicone sobre a madeira, pois pode manchá-la.


A manutenção das ferragens utilizadas no móvel é fundamental para a sua durabilidade.

Compartilhe nas redes sociais: